"Não fostes vós que me escolhestes; fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e produzirdes frutos, e vosso fruto permaneça."  João 15,16

A FORMAÇÃO
Jesus se voltou e, vendo que eles o estavam seguindo, disse-lhes: “Que procurais?” Eles responderam: “Rabi, onde moras?” Ele disse-lhes: “Vinde e vereis”. Eles foram, pois, e viram onde ele morava e permaneceram junto dele. João 1,38-39

PRINCÍPIO GERAL
 
Chamados a ser testemunhas do Evangelho, nós queremos, como os Apóstolos, pôr-nos na escola de Cristo. A formação é, antes de tudo, obra da graça. Também temos de contribuir com nosso esforço perseverante de fidelidade ao Espírito e de libertação interior. Oração, estudos, experiência são os elementos principais dessa formação jamais acabada – que nos prepara e nos adapta sempre melhor à nossa tarefa, tendo em conta as exigências atuais e futuras da missão na África.

 
ETAPAS DA FORMAÇÃO
 
 

SAÍDAS E DISPENSAS
 
Todo candidato é livre para deixar a formação a qualquer momento. No exercício desta liberdade, ele é ajudado por aqueles que têm o encargo de guiá-los no discernimento de sua vocação. Cabe aos Superiores dos Centros de Formação, após voto deliberativo de seu Conselho, dispensar os candidatos que não possuam as qualidades requeridas. Por razões graves ou em caso de escândalo, os Superiores Provinciais, após voto deliberativo de seu Conselho, podem dispensar de sua Província os candidatos que ali estão em estágio. Cabe ao Superior Geral pronunciar-se sobre a situação de um candidato demitido do lugar de seu estágio. Em todos os casos, a decisão só se torna definitiva quando o Superior da Província seja devidamente informado sobre ela.